+55 19 3383-0098
3D Systems - Authorized Reseller
28/04/17 às 08:01 am - Por: Simon Ferreira

Ford Começa a Testar Peças Impressas Em 3D Em Seus Veículos

Dos laboratórios para o chão de fábrica, a técnica que antes era utilizada apenas em peças prototipais, agora passará a ser introduzida também nas linhas de produção. A Ford, juntamente com uma empresa chamada Stratasys — fornecedora de peças impressas em 3D, anunciaram que vão começar a testar peças impressas em 3D em automóveis.

Este será o início de um programa piloto que visa baratear as peças — e por sua vez os veículos —, além de tornar o processo produtivo mais eficaz. A esperança da empresa é também criar peças em volumes menores, visto que da forma convencional de hoje em dia o custo de produção em casos assim é maior.

No passado, a impressão 3D limitava-se em criar peças de pequeno porte, mas a Stratasys desenvolveu um método que batizou de Infinite Build. O método utiliza cabeças de impressão e robôs industriais maiores, para criar peças maiores para veículos e outras aplicações.

Com o projeto, a Ford irá mostrar para outras empresas de automóveis que é possível integrar também na mecânica de seus veículos um conceito de tecnologia “Vale do Silício”.

O método de impressão 3D pode ser empregado também na personalização de veículos, particularmente em carros de corrida. Componentes produzidos de forma barata permitirão às escuderias experimentar protótipos de peças confiáveis que podem ser fabricadas e instaladas com mais facilidade em seus veículos.

Para provar a eficiência do método, um carro de corrida da Ford ganhou o 2015 Rolex 24 em Daytona, EUA, usando um coletor de admissão impresso em 3D. A impressora 3D Infinite Build permitirá que outras empresas tenham a oportunidade de aumentar suas experiências neste campo, assim como a Ford vem fazendo.

Impressoras 3D de mesa funcionam usando um filamento de plástico sobre camadas para criar uma forma a partir do zero. O processo Infinite Build da Stratasys é um pouco diferente, ao contrário de um fluxo contínuo, permite que os dispositivos sejam impressos com formas muito mais complexas e em três dimensões. Através deste processo também é possível que os designers otimizem a durabilidade graças à possibilidade de um design mais detalhado dos produtos.

Anteriormente, a Local Motors criou um motor com o corpo inteiramente impresso em 3D. O teste foi realizado no carro elétrico Strati da empresa, que pretende vender para os clientes em breve. O Strati entretanto, é um projeto pequeno e simples. Ao que tudo indica, a impressão 3D tende a ser utilizada na produção automotriz maciça antes do que imaginávamos.

[Computer Business Review]

Compartilhe:
Comentários